21 fevereiro, 2007

O Último dos Bulls

Estamos nas finais de 1998.
Com 3-2 a favor dos Chicago Bulls, as séries voltaram a Salt Lake City. O jogo 6 foi disputado mas extremamente mal jogado.
Com cerca de 40 segundos para jogar Jordan entra para o cesto, após ultrapassar Byron Russel e reduz para 1 ponto a vantagem de Utah.
Na resposta os Jazz apelaram para a dupla de ouro Stockton-Malone, contudo as mãos rápidas do nº 23 forasteiro roubaram o pesado esférico laranja (já alguma vez tentaram cabecear uma bola de basquetebol? Eu e o Mats já e olhem que não é nada mesmo nada fixe!) ao “carteiro”.
Sua "Alteza Real" conduziu a bola para o campo de ataque e fazendo escoar o tempo preparou-se para novo embate com B. Russel.
Jordan estava a fazer uma partida nada famosa ao nível do lançamento, apresentando percentagens bem modestas, mas deveria ser sua a responsabilidade de efectuar o último “tiro”.
O 1 contra 1 com Byron Russel foi dos momentos mais belos que alguma vez presenciei. O trabalho defensivo do homem de Utah foi irrepreensível, mas Michael fazia coisas demoníacas e com um movimento daqueles que só ele conseguia fazer “deitou” literalmente o adversário. Que crueldade! Sem oposição subiu e deu o 6º título aos Chicago Bulls.
Foi o seu último cesto com as cores da equipa da cidade do vento, e que cesto!

Vejam aqui com comentários em italiano.

4 Comments:

At 9:30 da tarde, Blogger Rika said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 9:31 da tarde, Blogger Mats Jagunço said...

Que saudades desses tempos!!! Lembro-me de ter ficado até às 5h da matina de 6a para Sábado a ver o jogo 5 a pensar que seria o último de Jordan. Mesmo com campeonato nacional nesse fim de semana, valia a pena! Mas enganei-me. A equipa de Malone ganhou e só o jogo 6 decidiu tudo. Obviamente também não o perdi. Tal como dizes Cavra, foi dos momentos mais belos de basquetebol que já presenciei. Foi arrepiante na altura!!! Recordo-me ainda de nos dias e semanas seguintes tentar imitar o movimento de Sua Alteza Real lá no pátio...
Quanto à prestação menos conseguida de Jordan nestes jogos, lembro-me que ele etava doente, com febre até, penso. Pippen também estava mal das costas e nem acabou o jogo 5. Mesmo assim, ainda que ao nível da percentagem possa não ter sido brilhante, 45 pontos são sempre 45 pontos!!!

 
At 9:09 da manhã, Anonymous José Cavra said...

Eu o jogo 5 não vi.
Tinha exame de manhã e era demais arriscar.
O jogo 6 vi sim e foi bem emotivo como descrevi.
45 pontos? acho q estás confundido.
Foram 30 e poucos.

 
At 8:46 da tarde, Blogger Mats Jagunço said...

E 30 e poucos são poucos? LOLOL
Mas olha que foram 45... vê o vídeo ao minuto 2 e 16 segundos... Está lá tudo!

 

Enviar um comentário

<< Home