03 julho, 2007

António Borges, o Maradona de Trás-os-Montes

Cabe hoje a honra de posta a António Manuel Jesus Borges, lenda viva do Grupo Desportivo de Chaves que um dia chegou a fazer parte dos pré seleccionados de José Torres para o Mundial de 1986.
Com incríveis semelhanças com o actor que desempenhava o vilão Rocha na fantástica série Duarte e Cª, este autêntico Maradona de Trás-os-Montes foi igualmente um dos pioneiros do discurso na 3ª pessoa, ao qual não deve ser alheia a licenciatura em Educação Física. Como todo o craque que despontava em Chaves, este flaviense de gema nascido a 20 de Abril de 1955, rumou a Braga onde a sua prestação se pautou pelo fracasso. Com excepção do croata Karoglan, o Desportivo pregou uns valentes barretes ao Sporting minhoto.
Ainda jogou nos leões da serra naquela bela equipa de 1987-88, que bateu o pé ao nosso Porto campeão europeu. Não fosse o bi bota marcar o tento do empate a 11 minutos do fim e o Covilhã teria feito história.

Quando pendurou as chuteiras abraçou a carreira de mister, tendo um precurso interessante em equipas dos chamados escalões secundários, quase todas transmontanas: S.C. Mirandela, Amarante F.C., G.D. Bragança, C.D.C. Montalegre, S. C. Lamego, U.S.C. Paredes, F.C. Marco, S.C. Vila Real, F.C. Tirsense, S.L. Nelas, G.D. Chaves.
Em 2006 trocou o Nelas pela missão impossível de salvar o Desportivo do coração. Não conseguiu, mas mantém-se como treinador principal para a época que se avizinha.
Boa sorte a este autêntico pensador do futebol para lá do Marão.

1 Comments:

At 2:18 da manhã, Blogger Fred said...

muito bom o blog!!
visitem também
http://perigonaarea.blogspot.com/

futebol mundial, talentos,...

 

Enviar um comentário

<< Home