10 julho, 2006

Campeonatos do Mundo - Alemanha 2006

E assim termina esta longa jornada do nosso blog, depois de percorrer todos os Mundiais de Futebol, desde o Uruguai 34.
O Alemanha 2006 foi, sem dúvida, um grande evento desportivo, onde a organização, o empenho e o entusiasmo foi preponderante!
Saliente-se o facto deste Campeonato do Mundo ter contribuido, em muito para a união do povo alemão, uma verdadeira vitória a nível político e social. Gostaria, também, de sublinhar a importância deste evento, não só a nível desportivo, como também, a nível político... Veja-se que durante o Campeonato do Mundo, muitos foram os líderes e chefes de Estado que estiveram presentes na Alemanha e essas presenças não deixaram de ser importantes para o enraizamento das relações internacionais entre todos esses países. Vamos então ao futebol...
Grupo A: Alemanha, Ecuador, Polónia e Costa Rica
O Ecuador foi a grande surpresa deste grupo tendo vencido a Costa Rica e a Polónia, facilmente. A Alemanha, sem surpresas, fez o pleno de vitórias e mostrou muita motivação neste início de Mundial. O Ecuador é uma selecção a ter em conta nos próximos torneios em que participe, pois parece estar a construir uma equipa sólida e muito eficaz. A Alemanha, com uma equipa jovem, mostrou, novamente, que é uma das grandes selecções do globo, em termos de beleza de jogo e eficácia. A Polónia e a Costa Rica ficaram pelo caminho e não impressionaram, de todo.
Grupo B: Inglaterra, Suécia, Paraguai e Trinidade&Tobago
A sempre favorita Inglaterra e a Suécia eram, sem margem de dúvida, os dois grandes favoritos e provaram-no passando aos oitavos sem grandes dificuldades, com excepção da Suécia que ainda apanhou um susto, com a selecção de Trinidade&Tobago. A Inglaterra mostrou que tem um leque de individualidades muito bom e que até trabalham bem em equipa. A Suécia continua a crescer de forma visível e começa a lançar jovens talentosos. O Paraguai não foi mais além de uma vitória sobre a selecção de Dwight York. Trinidade&Tobago estreou-se nestas lides com um empate contra a Suécia, nada mau para a primeira vez. Um grupo um pouco desigual e que não despertou grande interesse, excepto no jogo Inglaterra-Suécia, em que Joe Cole marcou um golo absolutamente fantástico!
Grupo C: Argentina, Holanda, Costa do Marfim e Sérvia e Montenegro
Novamente, um grupo em que os favoritos são notórios... A Argentina fez uma primeira fase muito positiva, marcada pela goleada por 6-0 à Sérvia, um jogo absolutamente fantástico por parte dos argentinos, onde mostraram toda a sua capacidade atacante e veia goleadora. A Holanda fez os mesmos pontos que a Argentina, tendo empatado com esta, e provou que, embora seja uma selecção jovem e em construção, Van Basten está realmente a fazer um bom trabalho e os talentos da Laranja Mecânica prometem... A Costa do Marfim ganhou à pobre Sérvia, mas não conseguiu o apuramento. É uma selecção relativamente jovem e que, penso eu, pode incomodar no futuro, já se viu na Taça das Nações Africanas... Sobre a Sérvia não há muito a dizer, a pior selecção do Mundial, na minha opinião.
Grupo D: Portugal, México, Angola e Irão
Sem surpresas, Portugal passou aos oitavos de final, tendo feito, tal como a Alemanha, o Brasil e a Espanha, o pleno de vitórias. Foi melhorando as suas prestações e o jogo contra o México foi muito bom táctica e técnicamente. Portugalfez uma primeira fase tranquila e sem qualquer sobressalto. O México passou com alguma dificuldade, tendo empatado contra Angola, a revelação. Como disse, a revelação do grupo foi Angola, que contra Portugal fez uma exibição muito agradável e só não conseguiu o empate graças a Ricardo "Labreca" e à defesa lusa. Empatou contra o México, quando todos diziam que ia ser goleada e contra o Irão foi a mesma coisa, mas merecia ganhar e se tal acontecesse não sei quem passaria... O Irão fez um ponto, contra Angola e com muita dificuldade e saiu de cena tal como a Arábia Saudita e a Coreia, tendo a Ásia ficado sem representantes na mais alta prova de futebol profissional do Mundo.
Grupo E: Itália, Gana, República Checa e EUA
Neste grupo a maior surpresa foi a passagem do Gana, em detrimento da República Checa e dos EUA. A Itália passou descansada e sem qualquer problema. O Gana foi a surpresa, tendo derrotado os seus concorrentes directos e, teoricamente, mais fortes. A República Checa fez 3 pontos contra os EUA e estes fizeram unicamente 1 ponto, empatando contra a Itália, curiosamente.
Grupo F: Brasil, Austrália, Croácia e Japão
O Brasil fez o pleno, sem surpresas, tendo tido alguma dificuldade, unicamente, contra a Croácia. A Austrália foi a surpresa do grupo tendo ganho ao Japão e empatado com a Croácia, garantindo assim a passagem aos oitavos de final, com 4 pontos. A Croácia fez dois pontos, pouco para uma selecção com tanto potencial. O Japão fez apenas 1 ponto, resultado do empate contra os croatas.
Grupo G: Suíça, França, Coreia de Sul e Togo
A Suíça mostrou-se forte tendo derrotado a Coreia e o Togo e tendo empatado com a França. Com 7 pontos foi a líder do grupo. A França, depois de empatar com a Suíça e com a Coreia, fez os gauleses tremer de medo, recordando o Mundial 2002, mas com a vitória sobre o Togo, garantiu a passagem aos oitavos. A Coreia conseguiu 4 pontos com o empate com a França e com a vitória sobre o Togo. O Togo foi, a par da Sérvia, a pior selecção do Mundial, tendo sofrido mais 4 golos e marcado mais um que a equipa Sérvia.
Grupo H: Espanha, Ucrânia, Tunísia e Arábia Saudita
Neste grupo não houve grandes surpresas... A Espanha fez o pleno, numa campanha brilhante com a goleada sobre a Ucrânia a ser a cereja no topo do bolo. A Ucrânia, depois de ser goleada pela Espanha, recuperou da melhor forma e venceu os dois jogos seguintes. A Tunísia e Arábia Saudita conseguiram 1 ponto cada uma, resultado do empate entre as duas selecções, curioso...
Oitavos de Final
A Alemanha, jogando muito bem em todo o campo, conseguiu uma vitória sobre a Suécia, com dois golos do jovem Podolski, a figura do jogo. A Argentina teve algumas dificuldades em bater o México, tendo mesmo sido a equipa de Lavolpe a abrir o marcador com um golo de cabeça de Marquez, o capitão. Mas Crespo empatou passado pouco tempo e o jogo foi desinteressante até ao prolongamento, que ao minuto 98 assistiu ao melhor golo do Mundial, para mim... Maxi Rodriguez recebe a bola de peito fora da área, de costas para a baliza, faz a rotação para o alvo e remata com força para o ângulo superior esquerdo da baliza de Sanchez: Um golo belíssimo. A Inglaterra ganhou ao Equador pela margem mínima, com um golo de Beckham, de livre, como não podia deixar de ser. Um jogo fraco em que a Inglaterra não fez muito para ganhar, prova disso é a nomeação de John Terry como melhor jogador em campo. Portugal e Holanda protagonizaram um feio espectáculo, marcado pelos muitos cartões mostrados pelo árbitro Valentin Ivanov. Portugal venceu com um belo golo de Maniche, mas ficou com uma imagem de fazer jogo sujo e anti-jogo, o que não corresponde, de todo à verdade. A Itália ganhou à Austrália, no último minuto com um penalty inexistente, mas a selecção transalpina já nos habituou a este sistema de jogo... A Ucrânia bateu a Suíça nos penaltys depois de um jogo muito fraco. O Brasil ganhou ao Gana, por três golos sem resposta. O último jogo dos Oitavos de final marcou a despedida da Espanha, de novo, do Mundial, numa derrota expressiva (3-1) contra uma França que se apresentou muito melhor nesta fase do campeonato, depois de uma primeira fase um pouco tremida.
Quartos de Final
A Alemanha e a Argentina encontraram-se num jogo que prometia muito. A Argentina adiantou-se no marcador no início da segunda parte, mas o imprevisível Miroslav Klose empatou a 10 minutos do fim. O jogo não foi grande coisa e teve de ser decidido nos penaltys, onde Jens Lehman brilhou, tendo defendido o penalty decisivo de Cambiasso. A Itália bateu a revelação, Ucrânia, por 3-0 e terminou o sonho do país de Shevchenko que, mesmo assim, se estreou muito bem num Mundial. Portugal e Inglaterra voltaram a encontrar-se e, novamente, o jogo foi decidido nos penaltys. Um jogo marcado pela expulsão de Rooney que motivou um sentimento geral de raiva sobre Cristiano Ronaldo que, dizem os adeptos ingleses, pressionou o àrbitro para mostrar o vermelho. Mas o cartão era mesmo merecido! O jogo esteve longe de ser um grande espectáculo e os penaltys forma mesmo a decisão mais justa, onde brilhou Ricardo, novamente o carrasco dos britânicos, ao defender três penaltys e entrando para a história do Mundial. O Brasil, pela primeira vez em muito tempo, ficou pelos quartos, tendo sido derrotado pela França, que mostrou muito pragmatismo e sentido de oportunidade.
Meias Finais
As meias finais retiraram as melhores selecções, para mim, da final. A Alemanha perdeu 2-0 contra a Itália, nos últimos 2 minutos, quando já tudo esperava pelo prolongamento. Portugal perdeu contra a França, com um penalty sobre Henry e convertido por Zidane, onde é que eu já vi isto? Zizou voltou a ser o nosso carrasco. Mas é verdade que se é penalty sobre Henry, e eu penso que é, também é penalty sobre Ronaldo e esse não foi marcado. Penso que o árbitro teve uma certa dualidade de critérios e não foi só no penalty não assinalado, mas Portugal saiu honrado deste jogo. Não haja dúvidas.
Jogo de apuramento do 3º e 4º lugares
Talvez o melhor jogo do Mundial. As equipas não tinham nada de mais a perder e entraram descontraidas e alegres. A Alemanha venceu por 3-1 mas o verdadeiro vencedor foi o espectáculo e o fair-play. Um jogo muito agradável, com oportunidades de parte a parte (Tivéssemos um ponta de lança a sério e veríamos se o resultado era este!). Os jogadores estiveram bem e foram um verdadeiro exemplo de amizade que deve existir dentro de campo... Pena não terem sido todos os jogos assim.
A Final
A final opôs França e Itália. As duas equipas chegaram a este ponto com uma estratégia de jogo assente no futebol apoiado vindo de trás. Em suma, defenderam e apostaram no contra-ataque. A Itália aí leva uma certa vantagem, mas o jogo foi mesmo a penaltys, depois de Zidane ter convertido um penalty, que sinceramente, não consegui ver se existe ou não, e Materazzi ter feito um belo golo de cabeça na sequência de um canto do fantástico Pirlo. Nem Barthez, nem Buffon defenderam qualquer penalty e a falha de Trezeguet foi fatal e deu a vitória aos transalpinos. Uma vitória justa deva-se dizer. Num Mundial onde a grande maioria das equipas apostou no futebol defensivo, pragmático e apoiado, o criador do sistema foi o vencedor, jogando da mesma forma, mas já leva muitos anos de experiência...
Prémios FIFA:
Bola de Ouro: Zinedine Zidane
Melhor Marcador: Miroslav Klose (5 golos)
Melhor Guarda Redes: Gianluigi Buffon
Melhor Jogador Jovem: Lukas Podolski
Prémio Fair-Play: Espanha e Brasil
Equipa Mais Empolgante: Portugal
Dream Team
Guarda Redes: Gianluigi Buffon(ita)
Laterais: Zambrotta(direita/ita) e Lahm(esquerda/ale)
Centrais: Ricardo Carvalho(por) e Cannavaro(ita)
Médios: Pirlo(ita); Zidane(fra); Ballack(ale)
Atacantes: Figo(por); Zé Roberto(bra); Klose(ale)
Estatísticas
Mais Golos: Klose(ale/5)
Maior Média de Golos: Crespo(arg/0.75)
Mais cartões: Costinha(por/4 amarelos e 1 vermelho) e Asamoah(gan/idem)
Mais faltas: Gattuso(ita/47 faltas)
Mais defesas: Buffon(ita/27) e Ricardo(por/25)

4 Comments:

At 10:20 da tarde, Blogger José Cavra said...

Foi a chave de ouro Chico!
Gostei do Post está mto bem conseguido.
Qto ao Pk sobre Ronaldo nas meias finais... não existiu.
Podes smp recriminar-me e apelar para as minhas raízes francesas... mas a verdade é q o nosso puto já ia em queda.

 
At 1:52 da manhã, Blogger Gilberto Mandamil said...

A Sérvia pode ter sido uma das selecções com pior prestação no mundial...mas em talento não faz parte desse lote, de certeza! No apuramento remeteu a Espanha para o playoff e sofreu apenas um golo(e frente a "nuestros hermanos",fora). A separação do país influenciou muito negativamente o seu trabalho, bem como o mau ambiente entre treinador e jogadores.

 
At 2:28 da manhã, Blogger Francisco Beckenbauer said...

Completamente de acordo, Gilberto. Não digo que a Sérvia não tenha qualidade... Vejamos nomes como Kezman, Stankovic, Vidic, Milosevic, etc. Eu faço a minha análise segundo resultados e, convenhamos, em resultados a Sérvia foi mesmo a pior. Imcompreensível, pois tinha a vantagem de ter jogadores de dois países, Sérvia E Montenegro lol. Como já falámos, daqui a dois anos fazemos o mesmo para os Europeus... Tá prometido!

 
At 4:38 da tarde, Anonymous Anónimo said...

uruguai 30
dipil

 

Enviar um comentário

<< Home