14 março, 2006

Campeonatos do Mundo - Uruguai 1930


  1. Como o prometido é devido, começamos hoje uma viagem no tempo pelos 17 mundiais de futebol, desde o Uruguai 1930 ao Coreia/Japão de 2002. A arte do italiano Meazza; os lendários magiares mágicos Puskas, Hidegkuti e Kocsis; o aparecimento do eterno rei Pele e do pantera negra Eusébio; o instinto matador de Kempes; a mão divina de Maradona; a irreverência de Higuita; a abnegação de Zidane; as muletas de Toni Oliveirinha: tudo o que de fascinante o mais importante torneio futebolístico nos trouxe ao longo de mais de 70 anos.

    O chamado “futebol internacional” teve inicio em 1872, como o desafio entre a Escócia e a Inglaterra. As primeiras grandes competições internacionais foram o Campeonato das Nações Britânicas , o campeonato da América do Sul, hoje Copa América, a Taça Mitropa( extinta para dar origem à Taça dos Campeões Europeus) e, posteriormente, o Campeonato do Mundo.

    A grande força impulsionadora do Campeonato do Mundo partiu de Jules Rimet, lendário presidente da FIFA e da federação francesa nos anos 20, que deu o nome à Taça atribuída ao vencedor até ao Mundial de 1970, depois do troféu ter ficado com o Brasil, a título definitivo, devido aos 3 mundiais ganhos. Itália, Holanda, Espanha e Suécia eram fortes candidatas à organização da 1ª edição, mas o facto do Uruguai comemorar em 1930 os 100 anos da sua independência foi decisivo para o evento se realizar na América do Sul. O 1º World Cup ficou marcado pelo surpreendente desinteresse das principais selecções europeias que, devido ao cansaço provocado pelas longas viagens de barco, decidiram não se inscrever( sim, não existia uma fase de qualificação). Porém, França, Jugoslávia, Bélgica e Roménia acabaram por se juntar ao Brasil, Argentina, Paraguai, Peru, Chile, Bolívia, México, E.U.A. e ao anfitrião Uruguai.

    Os 13 inscritos foram divididos em 4 grupos encabeçadas pelo Uruguai, Argentina, Brasil e E.U.A. . A 13 de Julho foi realizado o primeiro jogo, entre França e México. Devido à lesão do guarda-redes francês, logo nos primeiros minutos, o médio Chantrel ocupou a baliza, reduzindo a selecção a 10( não haveria lugar a substituições nos 40 anos seguintes). Ainda assim, os gauleses venceram por 4-1! Maschinot bisou, Laurent(não o Robert) e Langiller fizeram os outros dois tentos, enquanto Carreno reduziu para o 1º derrotado de sempre num Campeonato do Mundo. A França acabaria por ser eliminada na 1ª fase pela Argentina, tendo o árbitro acabado o jogo 6 minutos mais cedo, quando os gauleses se preparavam para empatar. No 1º grupo, a Argentina ficou qualificada para as meias-finais(só 1 por grupo segui em frente) e Jugoslávia( que venceu o Brasil), Uruguai e E.U.A. igualaram a façanha em cada um dos seus agrupamentos.

    Nas semi-finais, os E.U.A. não conseguiram surpreender os argentinos com o seu futebol matreiro, baseado no contra-ataque, e saíram vergados por esclarecedores 6-1. O Uruguai bateu a Jugoslávia pela mesma margem, repetindo o feito dos Jogos Olímpicos de 1928.
    Na final, no (então) novíssimo estádio Centenário, construído de propósito para o evento, em Montevideu, Pablo Dorado marcou primeiro num escaldante duelo sul-americano, mas a Argentina iria responder por intermédio de Peucello e do lendário Stábile(na foto), o primeiro “artlheiro”da prova. Reza a história que o 2º golo foi obtido em posição irregular. Pedro Cea empatou antes do intervalo e o extremo-esquerdo Santos Iriarte deixou a multidão uruguaia em delírio ao deixar a sua selecção em vantagem. Castro marcou o 4º e o placard da 1ª final de um Campeonato Mundial registou um 4-2 para a selecção anfitriã.
    É por isto que Recoba reclama que a sua selecção deveria estar este ano na Alemanha por “direito divino”, mas parece que o futebol não evoluiu muito naquelas bandas, desde há 70 anos para cá…




Uruguai:
Ballesteros, Nasazzi, Mascheroni, Andrade, Fernandez, Gestido, Dorado, Scarone, Castro, Cea, Iriarte.

Argentina:
Botasso, Della Torre, Paternoster, J.Evaristo, Monti, Suarez, Peucelle, Varallo, Stabile, Ferreira, M.Evaristo.

Árbitro: Jean Langenus (Bélgica)
93 mil espectadores
Marcadores: Dorado(12);Peucelle(20); Stábile(37);Cea(57);Iriarte(68);Castro(90)

9 Comments:

At 10:11 da tarde, Blogger Francisco Beckenbauer said...

Outra louvável iniciativa deste grandioso blog... Acho que se Portugal tivesse ido a esse primeiro Mundial, Pedro Barbosa teria mostrado toda a sua classe, tendo em conta que nessa altura já era um jogador experiente...

 
At 11:32 da tarde, Blogger José Cavra said...

Um post muito bem conseguido.
Um pequeno reparo... faltou a foto taça Julius Rimet.
Que venha o Mundial de 1934.

 
At 11:02 da manhã, Blogger Solteirão said...

Grande post sim senhora, gostei particularmente do jogo que acabou 6 minutos mais cedo ;)

 
At 11:08 da manhã, Blogger Gilberto Mandamil said...

Já tá lá a taça Jules Rimet. Solteirão, já em 1930 existiam Brunos Paixão e Paulos Costa...

 
At 1:03 da tarde, Blogger José Cavra said...

Não tem nada a ver com o post mas...
Veneno: o Hugo e o Rodrigo Tello vão ser titulares hoje em Coimbra.

 
At 2:28 da tarde, Blogger Solteirão said...

Também não tem nada haver, mas pressinto que o saganowski hoje vai vos enfiar 2 no buxo!

 
At 5:29 da tarde, Blogger José Cavra said...

Continuando com coisas que não têm nada a ver: é horrível jogar nos Barreiros.
Aquele batuque maldito e os adeptos que não se calam 1 segundo, sempre a gritarem "Marítime, Marítime!"
Normalmente o nosso Porto não passa na Madeira...

 
At 11:16 da manhã, Blogger Solteirão said...

mas passou.

E afinal não tinha razão, o saga não marcou nenhum golo.

 
At 6:36 da tarde, Blogger José Cavra said...

Os senhores de negro... deram uma maozinha ao guimarães

 

Enviar um comentário

<< Home