06 novembro, 2005

Histórias de L.A.


O Nascimento de um Mágico
1980, finais da NBA, Los Angeles Lakers contra Philadelphia 76ers.
No jogo 5, Kareem Abduljabar efectuou um jogo de sonho ao apontar 40 pontos, colocando os californianos na liderança por 3-2. Uma lesão no tornozelo na parte final do encontro, impediu o fabuloso centro de actuar na partida seguinte.
Na viagem para Philadelphia, um rookie de 20 anos, chamado Erwin Jonshon tentou acalmar os companheiros dizendo: "Tenham calma porque está aqui o 32".
Actuando de início no lugar de Kareem, "Magic" Jonshon entrou para a galeria dosimortais ao apontar 42 pontos, capturar 15 ressaltos e dar 7 assistências.

Os Lakers venceram por concludentes 123-107, e o Spectrum de Philadelphia via nascer mais uma estrela.

Pos "Memorial Day Massacre"
Desde 1979-80 até 1988-89, os LA Lakers estiveram presentes por 8 vezes na finalda liga NBA (ganharam 5).
Em 1985, com 38 anos, Kareem Abduljabar era tido pelos críticos como "velho" e na curva descendente da carreira.
O jogo 1 das finais ante os Celtics de Boston parecia dar razão ao cépticos com Kareem impotente ante um grande Robert Parish.
Terminou o jogo com 12 pontos e 3 ressaltos.
Boston venceu por 148-111, numa vitória que ficaria para a história conhecida por Memorial Day Massacre.

Durante os próximos 2 dias Kareem passou horas a ver vídeos do jogo e atreinar, sobretudo dribles em sprint.O jogo 2 marcou o regresso do poste fabuloso, com Jabar a contabilizar 30pontos, 17 ressaltos, 8 assistências e 3 contras, liderando os Lakers a uma vitória por 109-102.
LA venceu as séries por 4-2.

5 Comments:

At 9:47 da tarde, Blogger ascascwdsikcn said...

clap clap clap Cavra!
E isto é só o começo... Venham companheiros pós-modernistas do desporto: Visitem o cantinho da tropa k e o k esta a dar!!!

 
At 2:59 da tarde, Blogger Solteirão said...

Este Cavras passou, ou talvez não, ao lado de uma grande carreira jornalístico-desportiva.

Este é, sem sombra de dúvidas, um dos melhores blogues nacionais sobre desporto.

Já agora, sabem se K1 vai dar na Eurosport?


p.s.- relembro ao Cavras o golo de antologia que lhe marquei no último confronto futebolístico que tivemos. ;P
p.s.2- relembro tb que se tivesse a jogar numa equipa minimamente aceitável, em vez de 2 (sim, foram 2) golos tinhas mamado uns 4 ou 5!

Acho que os teus leitores tinham direito a esta informação privilegiada.

Amplexos

 
At 6:09 da tarde, Blogger José Cavra said...

O K1 vai dar na Eurosport, mas só lá para Dezembro.
Nós aqui vamos levar ati si todas as emoções do torneio. Eu já tenho viagem marcada para o TokyoDome.
Antes vou a Las Vegas fazer a cobertura do Hashim Raham s Vitaly Klichko para o título de pesos pesados de boxe.

Qto ao nosso jogo, eu relatei o evento, basta o amigo solteirão ir até ao mês de Julho.
Quanto aos golos... eu só contei 1. Quando foi esse 2º golo? eu não vi. já agora o resultado de 12-1 diz-lhe alguma coisa?
Ah... não tenho culpa se os amigos jogam melhor dq os seus.

 
At 11:14 da manhã, Blogger Solteirão said...

...eu só tinha 4 amigos naquela equipa...e um deles saiu era o PN, que não conta

 
At 11:13 da tarde, Blogger José Cavra said...

Pedro "the Lung" Nuno, esse carregador de piano incasável.
Relembro uma celebre disputa de bola entre nós.
O Pedro Nuno conduz o esférico, ou vou ao lado dele. O Pedro Nuno ganha uns centímetros e remata ao lado da Baliza à guarda de Diogo Mário ou Marcos Ferreira (já não me lembro bem).
Tu recriminaste-me: "O Pedro Nuno não pode ganhar em velocidade a ninguém".
Nesse jogo pos moderno, o Coimbra, tem um rasgo de lucidez qdo diz: "Para as equipas ficarem mais equilibradas, o Ruizinho vai para vocês e o José Cavra para nós".
Ainda hoje tenho pesadelos qdo me lembro disso.
Ah... por causa disso delirei com os 12 que o ruizinho levou.

 

Enviar um comentário

<< Home